main content

pagetop

header

slides

principal

breadcrumbs

 
|
NOTÍCIAS
 

conteudo

"Como prever o risco de ocorrência de jogo patológico” - projeto por Mauro Castelli
  "Como prever o risco de ocorrência de jogo patológico” - projeto por Mauro Castelli

Trata-se de um projeto liderado por Mauro Castelli, professor na NOVA IMS, que conta com a participação de vários investigadores da NOVA IMS, e que é financiado pela FCT. Este trabalho de investigação irá prever o risco de ocorrência de jogo patológico online. 

 

Este projeto consiste na criação de uma ferramenta com base em Inteligência Artificial (IA), que poderá capitalizar a grande quantidade de dados recolhidos e analisar o comportamento online dos utilizadores, de modo a detetar os comportamentos associados à dependência do jogo.

Liderado por Mauro Castelli, este projeto conta ainda com a participação de Leonardo Vanneschi (NOVA IMS) e de Roberto Henriques (NOVA IMS), bem como da Universidade de Coimbra e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

A procura mundial pelos jogos online tem vindo a aumentar em anos recentes e esta expansão é constante. O principal fator que contribui para este crescimento deve-se muito ao crescimento de tecnologias de telecomunicação que têm facilitado o desenvolvimento de novos serviços de jogos, assim como uma larga variedade de novos canais de distribuição destes serviços.

De acordo com a Associação Europeia de Jogos e Apostas, a Europa representa o maior mercado internacional de jogos online, com uma Receita Bruta de Jogo (RBJ) que, de acordo com as estimativas, atingirá os 24.9 mil milhões de euros em 2020. Ou seja, os jogos online são uma das maiores indústrias em todos os países europeus, gerando muitos milhões de euros em receitas, tanto para os agentes comerciais como para os governos.

Apesar do lado evidentemente lúdico, os jogos online representam também experiências sociais e pessoais que podem resultar numa deterioração global das relações sociais e familiares. Este projeto propõe uma ferramenta baseada em Inteligência Artificial (IA) que poderá capitalizar uma grande quantidade de dados recolhidos e analisar o comportamento online dos utilizadores, de forma a modelar e detetar os comportamentos associados à dependência do jogo. O impacto social do projeto é enorme, dada a sua inerente capacidade para reduzir os custos sociais associados à dependência do jogo.

Estes projetos no âmbito da Ciência dos Dados e Inteligência Artificial na Administração Pública - 2018 são desenvolvidos e  integrados no eixo 5- Investigação do Programa INCoDe.2030 - Iniciativa Nacional de Competências Digitais e.2030 , e foram apresentados no passado mês de outubro, pelo ministro da Ciência, Tecnologias e Ensino Superior.

footer