main content

pagetop

header

slides

menu principal

principal

breadcrumbs

 
|
NOTICIAS
 

conteudo

Pedro Simões Coelho e Jorge M. Mendes publicam artigo na prestigiada revista “Scientific Reports”
Pedro Simões Coelho e Jorge M. Mendes publicam artigo na prestigiada revista “Scientific Reports”

O artigo “Addressing hospitalisations with non error free data by generalised SEIR modelling of COVID 19 pandemic” introduz um novo compartimento no modelo SEIR para a ocupação hospitalar que permite a contabilização de pacientes infetados que precisam de atenção médica, conduzindo assim a uma melhor compreensão da taxa de recuperação para pacientes hospitalizados e não hospitalizados, ao mesmo tempo disponibilizando informação e previsões para o planeamento dos sistemas de saúde e resposta epidémica global.

A capacidade de fazer previsões sobre doenças permite aos cientistas avaliar os planos de vacinação ou isolamento que podem ter um efeito significativo sobre a taxa de mortalidade de uma epidemia particular. A modelação de doenças infeciosas é uma ferramenta que tem sido utilizada para estudar os mecanismos pelos quais as doenças se propagam, para prever o curso futuro de um surto e avaliar estratégias para controlar uma epidemia.

A sigla SEIR significa que, neste modelo matemático, a população anfitriã (N) é dividida em quatro compartimentosSuscetíveis, Expostos, Infeciosos e Recuperados, ou seja, todos aqueles que desenvolveram imunidade a uma doença. O modelo considera apenas as doenças que causam num indivíduo a capacidade de infetar outras pessoas imediatamente após a sua infeção. Muitas doenças têm o que é chamado de uma fase latente ou exposta, durante o qual é dito ao indivíduo estar infetado, mas não infecioso.

Para Pedro Saraiva, Diretor da NOVA IMS, “este é mais um importante reconhecimento da qualidade científica internacional e do impacto das atividades de investigação desenvolvidas na NOVA IMS. Estas são centradas na conversão de dados em valor, o que quando sucede no domínio da saúde, além de impactos económicos ou sociais, se traduz igualmente em salvar vidas. Este trabalho, a par de outros igualmente liderados pela NOVA IMS na área da saúde e no estudo da pandemia covid-19, aponta também nesse sentido, o que confirma a vocação desta escola no serviço público”.

O artigo, publicado na revista “Scientific Reports”, integra o conjunto de publicações associado a “Nature” e está disponível aqui.

footer